Campo Grande / MS - quarta-feira, 03 de junho de 2020

Procedimentos

ULTRASSOM DOPPLER COLORIDO

A Ultrassonografia com Doppler Colorido ou também conhecido como Duplex Scan Colorido é um exame amplamente utilizado na prática do cirurgião vascular. Diferente do ultrassom convencional, ele permite ver o fluxo (sangue) dentro do vaso, permitindo identificar características específicas, como a velocidade e direção do fluxo sanguíneo. Estas informações são extremamente importantes para mostrar com precisão obstruções, estenoses, dilatações, entre outras.

É um método que não utiliza nenhum tipo de radiação e não apresenta efeitos colaterais, sendo assim pode ser realizado várias vezes.

Inicialmente foi utilizado para prática diagnóstica, mas atualmente também tem atuação guiando diversos procedimentos como punções vasculares, cirurgias de varizes (convencional e laser), aplicação de espuma densa, entre outros.

CIRURGIA VASCULAR COM LASER

O laser emite luz em diferentes comprimentos de onda que são absorvidos pela hemoglobina (pigmento presente no sangue) ou pela água (presente na parede do vaso) e com essa absorção existe um aumento de temperatura que vai “queimar “ a parede do vaso causando seu colabamento.

É introduzida  uma microfibra ótica, com o auxílio do Ultrassom, que transmite o LASER que vai  fechar a veia tratada. A fibra é introduzida por punção, não havendo necessidade de incisões como na cirurgia convencional .

A veia permanece no local, como um cordão fibroso (uma cicatriz). A grande vantagem é o pós-operatório que é bem menos doloroso o que possibilita um retorno mais precoce às suas atividades, além de possibilitar tratamento em veias de acesso difícil com a cirurgia tradicional.

A indicação dessa forma de tratamento é individualizada , não podendo ser  feita em todos os casos , cabe ao cirurgião vascular determinar que tipo de procedimento é o mais indicado.

ESCLEROTERAPIA COM ESPUMA

O tratamento para varizes com espuma é um tipo de escleroterapia. A escleroterapia é um tratamento em que injetamos uma substância no interior da veia para induzir o seu fechamento, inutilizando-a.